• Lilian Pignatari

INGMAR BERGMAN no Homecine: um geógrafo da alma humana, um pintor das paisagens internas universais.

“Bergman foi o grande cineasta dos temas humanos, do sofrimento, da dor da existência, da impossibilidade do cotidiano. Mas também do amor, da precariedade do afeto, da quase intransponível incomunicabilidade do ser humano nas coisas mais banais”



Conheça parte da sua obra nos 11 filmes selecionados abaixo:



1- Noites de Circo (1953) - Gycklarnas afton

Em "Noites de circo", Bergman fala de angústia, casos de amor e escapadas eróticas – aqui, num tom bastante sombrio, tendo um circo como pano de fundo. Emoções refletidas na arena da vida: mais uma vez a grande tela era um espelho da alma do cineasta.

Os personagens de Noites de Circo, provavelmente a mais expressionista das realizações de Ingmar Bergman, lutam bravamente contra a miséria, ainda que apresentem sinais claros de derrotismo.

ImdB: 7,5

Rotten Tomatoes: 100%


2- Sorrisos de Uma Noite de Amor (1955) - Sommarnattens leende

“Sorrisos de uma Noite de Amor” não deixa de ser um belo exemplo da versatilidade do cineasta. Reconhecido por seus dramas voltados para o eu, a comédia focada nas trivialidades da relação entre homem e mulher, estimula uma visão múltipla do diretor.

Sorrisos de uma noite de amor, comédia social situada na virada do século 19, foi um grande sucesso, não só nas bilheterias, mas também em Cannes, onde recebeu um prêmio especial de "humor poético".

ImdB: 7,8

Rotten Tomatoes: 100%


3- O Sétimo Selo (1957) - Det sjunde inseglet

“E havendo o Cordeiro, aberto o sétimo selo, fez-se silêncio no céu quase por meia hora.” (APOCALIPSE 8:1)

Foi com "O Sétimo Selo" que Bergman atingiu o estrelato, passando à categoria de diretores respeitados mundialmente. O longa é uma alegoria da vida: o indivíduo, sua busca eterna por Deus, e a morte como única certeza, disse Bergman sobre o filme encenado no fim da Idade Média, no qual a Morte aparece em pessoa.

ImdB: 8,2

Rotten Tomatoes: 93%


4- Morangos Silvestres (1957) - Smultronstället

Em "Morangos silvestres", refletia sua vida na tela mais uma vez, além de mirar o futuro: Victor Sjöström, no papel do Professor Isak Borg era uma visão de seu próprio "eu" como ancião.

ImdB: 8,2

Rotten Tomatoes: 95%


5- A Fonte da Donzela (1960) - Jungfrukällan

Mais uma vez, um drama medieval. Novamente, um filme sobre culpa, religião, vingança e castigo. "A Fonte da Donzela" rendeu a Bergman o primeiro de seus três Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Uma forte cena de estupro, no entanto, fez com que o filme fosse temporariamente confiscado no estado alemão da Baviera.

ImdB: 8,1

Rotten Tomatoes: 87%


6- O Silêncio (1963) - Tystnaden

Duas irmãs e o filho de dez anos de uma delas estão presos num hotel numa cidade cuja língua não entendem. Cenas de sexo explícito e a ligação entre sexualidade e religião abalaram muitos espectadores no início dos anos 60. "O silêncio" foi censurado e proibido diversas vezes.

ImdB: 7,9

Rotten Tomatoes: 88%


7- Persona (1966)

O próprio cinema se tornou tema no filme "Persona". Duas mulheres, sua relação mútua e também delas com o mundo exterior. Sexualidade e fé são novamente pontos-chave da narrativa. Desta vez, contudo, o filme segue caminhos experimentais, além de refletir em profundidade sobre arte e cinema.

ImdB: 8,1

Rotten Tomatoes: 90%


8- Gritos e sussurros (1972) - Viskningar och rop

Um profundo olhar sobre a psique feminina, grandes emoções, atores excepcionais numa peça intimista. Nas palavras do diretor François Truffaut, na época: o filme começa como "As três irmãs", de Tchekhov; termina como "O Jardim das Cerejeiras", e no meio tempo há muito Strindberg. "Gritos e sussurros" foi sucesso de bilheteria.

ImdB: 8,1

Rotten Tomatoes: 89%


9- Cenas de um casamento (1973) - Scener ur ett äktenskap

Para os fãs de Bergman, algo como a síntese de sua carreira: o olhar por trás de um casamento de fachada, a realidade atrás das aparências. Um casal com dois filhos, que acabara de ser retratado em uma revista como casal feliz, já não tem mais afinidade.

ImdB: 8,4

Rotten Tomatoes: 91%


10- Fanny e Alexander (1982)

Aqui, novamente, Bergman enfoca a infância e a casa de seus pais. Um filme familiar, poético e divertido, além de bem-humorado, apesar de também trazer algumas cenas sérias e cheias de amargura. Mais uma vez uma obra-prima cinematográfica do diretor sueco.

ImdB: 8,1

Rotten Tomatoes: 100%



BÔNUS:


The Magic Flute (1975) - A Flauta Mágica

Mais uma vez ao lado Sven Nykvist, Bergman cria uma obra visualmente marcante.

Bela história que Bergman transporta para a tela com grande paixão. Um de seus projetos mais “destoantes” da filmografia, mas sem sombra de dúvidas, um de seus melhores filmes.

ImdB: 7,6

Rotten Tomatoes: 92%



“Minha vida pessoal é uma tragédia. Meus fracassos pessoais são notórios. Sou péssimo pai, mal vejo meus filhos. Por isso tento ser um artista excepcional, que entretém.” (Ingmar Bergman)


Olá pessoas :)

Todos bem?

Deixo aqui uma amostra dos melhores filmes desse grande diretor sueco.

Um abraço,


*Homecine Cloud é um streaming privado que pode ser acessado em site ou app para qualquer dispositivo conectado. Visite is.gd/homecine ou conheça o catálogo sem registro, utilizando o usuário e senha 999

76 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo